13 de setembro de 2019

Redação: Uma solução contra a cultura da violência


Estudante Manoela Vitória Cubas Santos Gonçalves
Colégio Ivo Leão - Curitiba
https://opiniaocentral.wordpress.com/tag/kant/

Nos dias de hoje, a cultura da violência tem crescido muito. Exemplos disso são os atentados de uma escola de Suzano em São Paulo e de uma sinagoga da Nova Zelândia. Em ambos os casos se observou o extremismo da violência humana, da falta de empatia e respeito ao próximo. Uma solução e até uma forma de impedir essas atrocidades é retomar o pensamento de dois grandes filósofos da ética, especialistas em questão de comportamento humano: Kant e Aristóteles. Graças a esses dois pensadores se pode propor uma ética e lei universal, isto é, uma regra válida para todos, com o intuito de reduzir o número desses casos de violência extrema.
Para Aristóteles a função do ser humano é ser feliz. Algo possível através da prudência que é parar, pensar e agir. Por isso, seria muito mais fácil impedir atrocidades como de Suzano e da Sinagoga da Nova Zelândia caso todos aprendessem sobre a ética aristotélica. Ela ensina a viver conforme o caráter, mas implica ação racional, refletida.  Nos casos citados, as ações parecem não ser fruto de uma reflexão racional, mas de uma impulsividade emocional e irrefletida.
Já para Immanuel Kant, todos nós possuímos habilidades, como a sensibilidade, o entendimento e a razão. Do ponto de vista kantiano, a criação de ideias e juízos (julgamento, escolha) ocorre na razão, pois adquirimos a liberdade de escolher sabendo que há consequências. Assim como um indivíduo que opta pela violência ou comete um massacre, por exemplo, terá um preço por isso. Ao ler sobre a responsabilidade que se tem diante das escolhas que se faz, o indivíduo tem melhores condições de evitar ações que prejudiquem a si e os outros. Por isso, Kant propõe um imperativo categórico, segundo o qual a autonomia permite ao indivíduo decidir não por medo ou por recompensa, mas por convicção própria.
Percebe-se a necessidade de que as pessoas atuem de acordo com o princípio da ética agindo corretamente visando o bem comum e que, quem sabe, cheguem a cumprir a lei universal, que é uma espécie de regra válida para todos. Por exemplo, a defesa da vida humana indiferente da situação existente. Assim, será possível viver como uma comunidade, desde que a lei universal seja cumprida. Dito isso, a melhor forma de aplicá-la é com as aulas obrigatórias de ética, projetos como atividade extracurricular, tendo filmes com temas atuais e que possam ser discutidos nas salas de aula.