21 de dezembro de 2015

Filosofia: os autores, as obras - Jacqueline Russ

                Por: Everton Marcos Grison

          No Brasil, o ensino de filosofia está próximo de completar dez anos de retorno à etapa do ensino médio. No país, por mais de 30 anos os jovens não dispuseram nesta fase de formação, das reflexões e ideias dos filósofos. Muito já foi feito no sentido de consolidação da disciplina no interior das escolas brasileiras, sejam elas públicas ou privadas, mas há muito a ser conquistado.
          Ao longo desse período várias metodologias foram testadas e muitas continuam a ser objeto de pesquisa diariamente por professores de escolas e pesquisadores universitários. A pesquisa também se desenvolve na escola e quem sabe, neste âmbito seja onde o retorno acadêmico para a sociedade é mais evidente. Existe uma necessidade latente de que o professor, especialmente o professor de filosofia, também seja um pesquisador, no sentido de manter-se atualizado com tudo de novo que está sendo produzido, além é claro de refletir a partir de suas visões de mundo e suas propostas de investigação.
           O material disponível para o ensino de filosofia felizmente é vasto. Cabe ressaltar que é preciso um critério bastante claro na seleção dos materiais didáticos e nos referenciais dos professores, para garantir um ensino de filosofia de qualidade , que esteja atento ao manuseio do texto filosófico, o trabalho conceitual, o desenvolvimento histórico e problemático das ideias.
          Levando em conta isso, a Editora Vozes lançou no país uma obra da já reconhecida pesquisadora e professora francesa Jacqueline Russ, intitulada: Filosofia: os autores, as obras. Tradução de Guilherme João de Freitas Teixeira. 499 páginas, R$: 89,00. Russ também é  autora de: Os Métodos em Filosofia (2010) igualmente publicado pela Editora Vozes. Na obra lançada este ano, a autora busca elaborar reflexões sobre a vida e o pensamento dos grandes filósofos.
          Não se trata de mais um manual de filosofia. Neste livro a autora define conceitos fundamentais da filosofia ao mesmo tempo em que analisa detalhadamente as principais obras dos filósofos. O livro está divido em sete capítulos, nos quais um número escolhido de autores e obras é exposto.
          O primeiro é Antiguidade – a filosofia Greco-latina: razão e natureza. Neste os autores escolhidos são: Platão, Aristóteles, Pirro de Élis, Epicuro, Lucrécio, Epíteto e Marco Aurélio. Um ponto fraco está na exclusão dos autores pré-socráticos, ou seja, aquele grupo de autores anteriores a Sócrates e que desenvolveram uma influência determinante no pensamento grego antigo e nos demais períodos da filosofia.
          O segundo capítulo trata do Pensamento medieval – A transcendência divina. Neste os autores são Santo Agostinho, Averróis e Santo Tomás de Aquino. O terceiro trata da Renascença – A aurora dos novos tempos no qual Nicolau Maquiavel e Michel de Montaigne são os filósofos escolhidos.
          O quarto capítulo é A época clássica -  A razão conquistadora com Thomas Hobbes, René Descartes, Blaise Pascal, Baruch de Espinoza, John Locke, Nicolau Malebranche, Gottfried Wilhelm Leibniz. O quinto fala das Luzes do século XVIII – Triunfo e limites da razão a partir das ideias de Charles-Louis de Secondat de Montesquieu, David Hume, Jean-Jacques Rousseau e Immanuel Kant.
          O sexto capítulo é marcado pelo Século XIX – Entre indivíduo e história abordando o pensamento de Georg Wilhelm Friedrich Hegel, Arthur Schopenhauer, Augusto Comte, Antonie-Augustin Cournot, Alexis de Tocqueville, Soren Aabye Kierkegaard, Karl Marx e Friedrich Nietzsche.
          O sétimo e último capítulo aborda O século XX – Em busca de uma nova civilização apresentando a vida e as ideias de Sigmund Freud, Edmund Husserl, Henri Bergson, Alain (Émile Chartier), Gaston Bachelard, Ludwig Wittgenstein, Martin Heidegger, Jean Paul Sartre, Hanna Arendt e Maurice Merleau-Ponty. Segue-se disso uma conclusão e um índice. 
             Por mais que se discorde da exclusão de uma série de autores, merecedores de sua presença na obra, seja pela agudeza e  contribuição às reflexões mais variadas, o livro parece se justificar pelo cuidado na elaboração das analises das obras. Este material funciona como referencial básico para professores e alunos, especialmente aqueles que pretendem prestar vestibular, pois congrega as ideias e os conceitos desenvolvidos, além de analisar várias obras do mesmo autor.
          É importante dizer que Jacqueline Russ recebeu a acertada colaboração de France Farago, pesquisadora reconhecida em todo o mundo com seus trabalhos acerca da filosofia de Kierkegaard, além de seus estudos em demais autores da história da filosofia e sobre o que diz respeito ao ensino da disciplina. O  livro de Russ é um convite ao estudo filosófico, seja para aqueles que já possuem alguma bagagem filosófica, ou para aqueles que a filosofia representa novidade. 

2 comentários :

oseias Maques Padilha disse...

Um excelente material, como você mesmo disse, não só introdutório, mas aborda conceitos aos quais, nós filósofos necessitamos sempre redirecionar nosso olhar reflexivo. Boa indicação!

PROF. EDINEI M. GRISON disse...

Adquiri ele. Vale a pena. Excelente produção.