22 de março de 2015

A Filosofia e o Cuidado da Vida

Por: EDINEI M. GRISON.

A relação do ser humano com o conhecimento desperta inúmeras tomadas de posição. Ora pela racionalidade (instrumental, dominadora, colonizadora...), ora pelos sentidos (a empiria, experiência), gerando relações opostas de poder no mar de possibilidades do conhecer.
Arcângelo Buzzi com a obra: A filosofia e o cuidado da vida, publicada pela Editora Vozes no ano de 2014, sugere que a filosofia pode promover o cuidado da vida, reconduzindo o ser humano a uma relação direta com as coisas. Ou seja, “a experiência prática será sempre mais importante do que a teorização abstrata”.
Sugere o autor que o cuidado deve promover a tarefa de não desviar a vida de sua intencionalidade mais importante: sair e ir ao mundo ao encontro das coisas. O livro está organizado em dez seções que representam ensaios temáticos a partir de palavras chaves que se verticalizam sobre o cuidado da vida.
Desafie-se na arte de ler e interpretar!


Este livro da Livraria Vozes de Curitiba na rua Emiliano Perneta, 332.

15 de março de 2015

O que os jovens de hoje sabem sobre os jovens de ontem? 30 anos do fim da Ditadura Militar Brasileira

Por: Everton Marcos Grison

“o sistema esvazia nossa memória, ou enche a nossa memória de lixo, e assim              nos ensina a repetir a história em vez de fazê-la. As tragédias se repetem como farsas, anunciava a célebre profecia. Mas entre nós, é pior: as tragédias se repetem como tragédias” (GALEANO, 2000, p. 121).


Imagem de Marighella assassinado pela Polícia sob o
comando do delegado Fleury. 
          
O caminho para cada jovem brasileiro atualmente não tem ligação alguma com pré destinação, aspectos religiosos ou de imposição parental. Tal como é definida a sabonete que cada um usa para se banhar, ou o creme dental que mata as bactérias bucais, a propaganda assume diretrizes que determinam a consciência dos indivíduos. Tudo o que cada um entende por legal, alguém já o pensou anteriormente, defini-o com bastante precisão e pos para girar a roda da reprodutibilidade técnica, igualando a produção e escolha de ideias, a simples sabonetes que escoam com a água do banho pelo ralo. O que não se percebe é que juntamente com a água se vão as ideias, a autonomia, a personalidade e a vida. Todos cumprem uma mera função decorativa, de fantoches sem função específica no teatro da vida.