26 de novembro de 2014

Sociologia da Comunicação - teoria e ideologia (Gabriel Cohn)

Por: Everton Marcos Grison
           


          Uma das questões de caráter urgente que o Brasil precisa resolver trata da regulamentação da mídia. Para a internet, o Marco Civil estabeleceu parâmetros mínimos a uma convivência ética, sem possuir de forma alguma, interesse de reprimir ou cercear expressão. Quem fala a partir de então, arca com o que diz. Entretanto, quando falamos de mídia tradicional (jornais, revistas e TV), não há uma regulamentação. Desta maneira, figuras carimbadas, religiosos e grandes magnatas, disseminam o ódio, a violência, instigando a população a agir com as próprias mãos, diante da desigualdade aberrante em nosso país. Tais acontecimentos evidenciaram-se no último processo eleitoral, ocorrido em outubro e que, foi permeado por manifestações midiáticas, tanto para a esquerda, quanto para a direita, do pior tipo de manipulação; a mentira.

          O debate sobre a mídia no Brasil é urgente, já que um número significativo de pessoas informa-se através dos meios mais tradicionais. A complexidade de tal enfrentamento é tamanha, pois não se restringe ao âmbito técnico ou do conteúdo transmitido, mas, trata das bases da Sociologia da Comunicação entre elas, a ideia de público, elite e massa. São estes os conceitos que envolvem de forma direta a formação da ideologia burguesa, comandante da “nau midiática” brasileira. 

          É muito oportuna a nova edição do livro: Sociologia da Comunicação – teoria e ideologia, de Gabriel Cohn, um dos maiores intelectuais brasileiros na área da Sociologia e da Comunicação. Também é um dos responsáveis pela introdução do pensamento de Theodor Adorno e dos teóricos da Teoria Crítica (apelidados de Escola de Frankfurt), no Brasil. A primeira edição do livro de Cohn foi publicada pela Editora Pioneira, em 1973. Por muitos anos, ficou fora do mercado e até de muitas bibliotecas especializadas. Agora, retorna as prateleiras em nova edição, que é publicada pela Editora Vozes, fazendo parte da coleção Sociologia. 

          O livro é um clássico pela sua erudição, mas também pela sua clareza e seriedade. O autor une profundidade conceitual com compreensão expressiva, dialogando com o leitor especialista e o leigo. Filiando-se a teoria crítica, desenvolve um pensamento genuinamente brasileiro. Nas palavras de José Maurício Domingues, que assina a apresentação: 


Sociologia da Comunicação filia-se claramente, sem aderência abstrata ou acrítica, à linhagem da teoria crítica da Escola de Frankfurt, com respostas originais e incisivas. Sua abordagem é mais flexível que a de ambos, sem aceitar o pessimismo... Os temas da dominação e do conflito, do público, da opinião pública e da democracia, das ‘elites’ e das massas, a crítica à ideologia que a estas em particular subjazem, se fazem presentes em suas páginas (p. 11). 


          O autor debate-se com as questões centrais do estudo sociológico da comunicação; “Como agem os meios de comunicação no plano coletivo? Quais os seus efeitos? O que significa falar em ‘público’ ou em ‘massa’? Como a organização e o modo de agir desses meios se relacionam com diversos tipos de sociedades?” (p.18). 

          O livro possui uma apresentação assinada por José Maurício Domingues, uma prefácio do próprio autor e é divido em seis capítulos ou partes: 1 – Massa: a noção e o seu alcance; 2 – Público, elite e massa: a dimensão política; 3 – Público, elite e massa: a dimensão cultural; 4 – A dimensão social: a sociedade de massas; 5 – Cultura e Sociedade: o cenário contemporâneo; 6 – Teoria e ideologia; além das referências, totalizando 197 páginas. 

          Em relação a edição original de 1973, o autor suprimiu a introdução e as conclusões, além das notas de rodapé. 


Na releitura não foram feitas modificações de maior monta na edição original. Foram, porém, omitidas a introdução original e as conclusões, meros cacoetes acadêmicos. A modificação mais importante constituiu na completa eliminação das notas de rodapé do original. Perde-se um pouco de informação em alguns pontos, mas ganha-se muito no andamento da leitura... (p. 23-24). 


          Eis um livro importante e referencial nos debates da Sociologia e da Comunicação, além de fornecer subsídios para o enfrentamento da regulamentação midiática no Brasil.


Este livro da editora Vozes pode ser adquirido em Curitiba pelo Telefone (41) 32331392.

Nenhum comentário :