6 de maio de 2013

ARISTÓTELES



Por: Jonas J. Berra

Este texto ajuda a dar uma visão ampla. Poderá ser útil para introduzir estudantes ao estudo desse grande filósofo. Um passo inicial, que é fundamental. Se tentarmos aprender tudo de uma vez, nos perdemos nas vastas bibliografias e comentários. Por isso todo recorte é parcial e até superficial. Estamos cientes disso e pretendemos dar uma motivação, mostrando a relevância de estudos clássicos para o conhecimento do desenvolvimento do homem e da humanidade.
         O estagirita, como ficou conhecido Aristóteles por ter nascido em Estagira na Macedônia, nasceu no ano 384 a. C. Não temos conhecimento do dia ou mês de seu nascimento. Por volta dos 18 anos viajou até Atenas, onde estudaria filosofia. Ao chegar em Atenas filiou-se à acadêmia do filósofo Platão, do qual se tornaria o mais brilhante discípulo. Em 348 a. C. Aristóteles afastou-se da academia devido ao falecimento de seu mestre, tornando-se professor de Alexandre, filho do rei da Macedônia e futuro imperador do mundo grego. Quando Alexandre subiu ao trono, Aristóteles  voltou à Atenas em 335 a. C., onde criou sua própria escola, o Liceu. O método adotado pelo filósofo ficou conhecido como "peripatético" (que quer dizer caminho), porque as aulas eram dadas enquanto professor e alunos caminhavam pelos jardins da escola (também conhecida como "escola peripatética"). O conhecimento era transmitido e construído de forma oral, dando-se ênfase à assimilação pela memória e rigor lógico das argumentações. 
         A filosofia de Aristóteles ficou conhecida pela sua oposição à da Academia de Platão, ainda que o Liceu do filósofo tivesse sido criado em uma época em que Platão não estava mais presente na Academia. O que se criticava era o dualismo da filosofia platônica, que separava o mundo, causando uma dicotomia entre "a realidade material do mundo natural e a realidade abstrata do mundo das formas" (MARCONDES, 2011, p. 45). 
Fonte: fisica-interessante.com
         Pode-se considerar determinante a filosofia de Aristóteles para a formação do pensamento ocidental. Não apenas no que se refere ao puramente filosófico (se é que existe algo puramente filosófico), mas também no âmbito do conhecimento científico, político e literário. Foi a partir da filosofia do estagirita que se desenrolou através da história duas ideias extraordinárias: o empirismo e a lógica dedutiva-silogística. A primeira, considerando a observação dos dados da experiência na forma de experimentação para apreender algo sobre o mundo, colocando-se em oposição ao essencialismo platônico, que pregava a existência de um mundo extrassensorial verdadeiro. O segundo, tomando como ponto de partida as "verdades" dos enunciados universais "garantidas" para se chegar à "verdade" dos enunciados particulares, favorecendo uma argumentação sempre mais clara e logicamente sólida. Curiosamente, tanto o empirismo como a lógica passaram pela Idade Média e Idade Moderna sem perderem importância, ainda que sofrendo duras críticas dos Racionalistas. 
Fonte: empirismocca.wordpress.com

          Teríamos muitos outros aspectos importantes da filosofia de Aristóteles para comentar, mas deixaremos isso para futuras postagens. Por enquanto, colocarei os assuntos mais trabalhados pelo filósofo de acordo com o site http://afilosofia.no.sapo.pt/Aristoteles.htm, que apresenta, além da biografia, aspectos gerais de sua filosofia e a bibliografia traduzida para o português, incluindo uma série de dados mais técnicos sobre esse grande pensador.

"Obras de Aristóteles
  • Livros de lógica ("Organon" ou instrumento): Categorias; Sobre a Interpretação; Primeiros Analíticos ( 2 livros),; Segundo Analíticos (2 Livros); Tópicos (8 livros); Refutações Sofísticas.
  •  Livros de física e a concepção do universo: Física (8 livros); Sobre o Céu (2 livros); Sobre a Geração e a Corrupção (2 livrso); Meteorológicos (4 livros).
  • Livros de psicologia: Acerca da Alma (3 livros); "Parva Naturalia" (4 tratados), incluindo os seguintes livros: Acerca da da percepção dos sentidos; Acerca da memória e reminiscência; acerca do sono; acerca dos sonhos
  • Livros de biologia: História dos Animais (10 livros, com partes de autoria duvidosa): Acerca das partes dos animais (4 livros); acerca do movimento dos animais; acerca da marcha dos animais; acerca da geração dos animais (5 livros).
  • Livros de metafísica: Foi Andrônico que atribuiu a estes livros (14) a denominação de Metafísica (literalmente "depois da física), por os mesmo se seguirem aos seus apontamentos que tratavam da física.
  • Livros de ética: Ética a Nicómaco (organizada por Nicómaco, filho de Aristóteles); Ética a Eudemo (7 livros, organizados por Eudemo, discípulo de Aristóteles); a Grande Moral ( 2 livros, com fragmentos das éticas anteriores e de autoria duvidosa):
  • Livros de Política: Política (8 livros); Constituição de Atenas.

Referências de leitura

ARISTÓTELES. Ética a Nicômaco. Tradução do Grego de António de Castro Caeiro. São Paulo: Atlas, 2009. 

MARCONDES, Danilo. Textos Básicos de Ética: De Platão a Foucault. 4. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2009.

MARCONDES, Danilo. Textos Básicos de Filosofia: Dos pré-socráticos a Wittgenstein. 7. ed. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2011.

NERICI, Imideo Giuseppe. Introdução à Lógica. 2. ed. São Paulo: Nobel, 1974.

REALI, Giovani. História da Filosofia: Antiguidade e Idade Média. São Paulo: Paulus, 1990.

URDANOZ, Teofilo. Historia de la Filosofia VII: Siglo XX: Filosofia de las ciências, neopositivismo y filosofia analítica. Madri: Biblioteca de Autores Cristianos, 1984.

Nenhum comentário :