22 de agosto de 2011

O fim do regime de 42 anos de Muammar Kadhafi

Por: Jonas J. Berra

esquerda?     
direita? 


Todo conforto para um homem.
Enquanto a igualdade é apenas a
pobreza do resto.

Ideologia contra a alienação capitalista,
mas que aliena contra o livre agir
e a livre explanação de ideias.
"A GRANDE AMEAÇA À 
DEMOCRACIA DA AMÉRICA LATINA"


Quando não Há liberdade política,
não há muita diferença entre o
regime atual (implantado pela revolução)
e o regime Nazista do passado.




REVOLUÇÃO NÃO É SINÔNIMO (EM SI) DE COISA BOA. REVOLUÇÃO PARA QUEM?


Finalmente o DITADOR SANGUINÁRIO está deixando o poder. Infelizmente deixa tarde, pois milhares morreram e agora, para restaurar a paz, foi preciso que mais pessoas morressem. Não sei o que os comunistas estão pensando, mas definitivamente não houve igualdade no regime de , Muammar Kadhafi. 42 anos no poder e não me digam  que é culpa dos Eua.  Chega disso meus amigos comunistas. Chega de criar teorias da conspiração. Isso já virou piada. Vamos lá. Será que não é evidente que nenhuma teoria da conspiração seria tão perfeita a ponto de forçar tantas notícias contrarias ao ditador?
Como um amigo certa vez me disse: "não é de hoje que intelectuais são a favor de regimes totalitários".

Um exemplo claro a não ser seguido é o reconhecimento do governo Kadhafi por  Hugo Chaves (clique aqui  para saber mais). Digo com todas as letras: "imbecil". Quando esses totalitaristas vão pensar no sofrimento do povo? quando tomarão consciência que dos males, o pior é a democracia e o liberalismo? (clique aqui)
Não adianta falar mal do capitalismo e do liberalismo se perseguem e matam pessoas porque elas pensam diferente. Basta!

Agora, por favor, vejam a reportagem da TelesurTV sobre a Líbia e tirem suas próprias conclusões. Se a maioria da população não aprova, se a maior parte da mídia não aprova é teoria da conspiração de quem? dos liberais capitalistas?  ou não seria apenas fruto da Ignorância política?
(Clique aqui)



Noticias:
http://www.jornaldigital.com/noticias.php?noticia=27560
http://www.publico.pt/Mundo/libia-ninguem-sabe-onde-esta-o-coronel_1508652

Ver crianças carregando armas é
mais do que suficiente para querer o fim
de qualquer ditadura.

Fotos retiradas diretamente de imagens do google de vários sites de notícias.

Algumas Fotos: http://ultimosegundo.ig.com.br/revoltamundoarabe/veja+imagens+da+crise+na+libia+nesta+segundafeira/n1597171215236.html

3 comentários :

Everton Marcos Grison disse...

Finalmente mais um ditador cai... Com certeza existem semelhanças entre o governo Nazista e o de Kadhafi, pois a liberdade política, melhor dizendo, a liberdade de ter diferenças, de ser diferente, de ser contrário é excluída... Tando Hitler como Kadhafi, ou o governo ditador que houve no Brasil entre as décadas de 60 e 80 exterminaram as formas de diferenças, patronizando os individuos e transformando-os em peças de um jogo que é regado a muito sangue e muita luxuria. Sangue do lado dos pobres e "conquistadores" de dias melhores e luxuria pelo lado destes assasinos que mantém suas fortalezas luxuosas contruídas sobre as cabeças das pessoas que mandaram exterminar, e sobre o dinheiro que roubaram dos verdadeiros donos; o povo. Mas logicamente cabe alertar que de a melhora não chega somente com a destituição do governo. O momento mais crítico é o pós destituição, na organização do grupo que decidirá os rumos daqui para frente do país. Sou da opinião de que a ajuda internacional nestes casos não é benéfica, pois a regra que manda é; "quem pode mais chora menos". Todos querem o quanto mais puderem pegar da fatia do bolo, e um país desestruturado e vulnerável a atuação dos lobos (e nem estou falando somente dos USA, mas do serviço internacional como um todo)pode ficar pior do que estava antes. Quem deve decidir o melhor para a Líbia é o povo líbeo e nada de organização internacional, ONU e companhia limita pois todos sabemos bem, que os interesses ai são muito bem direcionados. Defendo a criação de uma comissão de transição, para reorganizar o país, mas criada e constituida de libios, da população, decidindo as coisas através de grandes votações e sem intervenção internacional. Se não acontece aquela coisa; vira uma democria monitonarada pelos hipócritas internacionais que eu nem preciso enumerar quais são...

Francine Cruz disse...

Muito bom o texto e o comentário do Everton. O blog está de parabéns!

Jonas J. Berra disse...

Muito obrigado pelo comentário Everton.
Não é que o conselho de segurança da ONU e países que apoiam os rebeldes estejam certos, mas há muita coisa que não bate. As informações que chegam até nós são sempre remastigadas e se nos posicionamos politicamente, essa posição parece sempre ser tendenciosa. Como Hannah Arendt dizia, é preciso parar para pensar. Se realmente parássemos para pensar, perceberíamos com lógica (aí Bertrand Russel tem uma contribuição melhor), que a violência é sem sentido, assim como não tem sentido algum a dominação pela força, pois só gera sofrimento.