24 de maio de 2011

O que ainda devemos aos modernos?

 Por: Jonas J. Berra

         Neste dia 23, à noite, tive a oportunidade de acompanhar a palestra do professor Dr. Cleverson Leite Bastos. Ele discorreu sobre o tema da semana acadêmica de filosofia da PUCPR: "O que ainda devemos aos Modernos?". Farei aqui uma série de apontamentos sobre alguns assuntos que mais marcaram a noite, visto serem tantas questões interessantes e vastas.

LATTES: Prof: Dr. Cleverson
          Para o professor (com seu ar humorístico), o tema da semana acadêmica possui um título "errôneo" ao sugerir que poderíamos um dia não dever nada aos filósofos modernos. Para ele: O que devemos aos Modernos? Tudo, devemos Tudo aos Modernos.
           Claro que a intenção do título não é sugerir um corte epistemológico total, mas mostrar que quase tudo do que temos em termos de conhecimento em nossa sociedade, apesar do tempo histórico que nos separa dos modernos, devemos a eles.


      Em sua palestra, que o próprio professor preferiu chamar de "aula", vimos o resumo das principais questões filosóficas que perpassam a história de nossa civilização ocidental. Desde os gregos, Platão olhando para cima, esperando chegar ao conhecimento verdadeiro na contemplação das ideias inatas. Aristóteles, vê no concreto do mundo (o olhar para o chão, no empírico), a fonte do conhecimento verdadeiro.

     Duas questões essenciais da teoria do conhecimento surgem com esses pensadores: o inatismo e o empirismo, que foram muito bem explicados pelo professor, cujas correntes foram conciliadas na teoria do conhecimento dada por Kant na modernidade. Este, por sua vez, teria sido responsável pela morte de Deus, antes de Nietzsche.
         Mas porque, afinal, falar dos gregos e, em seguida, dos medievais, dizendo que gostaria de ter vivido neste período, em que nenhuma preocupação havia, se não, seguir os ditames da divina providência? Foi para percebermos o andar da história, visto que somos a soma de "n" acontecimentos históricos, desde a invenção da roda até os mais avançados microcomputadores. Para o professor: "Não devemos superestimar as civilizações antigas assim: 'Óh, como é possível que os egípcios tenham construido as pirâmides com aquela tecnologia?' Bom, o cérebro humano é o mesmo há 200 mil anos, se eles não pudessem empilhar algumas pedras, que se matassem então!" - fez graça o professor.
       Para o professor, não podemos também subestimar os povos mais antigos. Muito antes das grandes navegações dos ingleses e portugueses, daquilo que conhecemos como história branca, os mongóis já usavam tecnologias de navegação. Segundo o Professor, "os mongóis chegaram à europa com grandes embarcações de 200 a 400 metros de comprimento. Não gostaram do que viram, voltaram, queimaram os barcos e fecharam o país". Reflexão que pode gerar certas dúvidas, por ser tão controvérsa.
      No meio da noite, ele deu algumas explicações sobre o início da era moderna, sobre o fim das monarquias absolutistas com as revoluções inglesas e francesas. A revolução na Inglaterra aconteceu com o financiamento da coroa, já na França, com cabeças reais sendo guilhotinadas.
Devemos Tudo aos modernos. Somos a soma da filosofia grega, do direito romano e da espiritualidade judaico-cristã. Para o Professor Dr. Cleverson, não há como escaparmos disso. Mesmo quem se diz contrário a tudo isso, pensa com a cabeça formada a partir dessa cultura.
       Porém, no desenvolvimento do pensamento moderno existem autores chaves. Dentre eles, Newton. Cujo pensamento ficou em destaque com a frase escrita em sua lápide: "A natureza e as Leis da natureza estavam ocultas na noite, Deus disse: Seja Newton, e tudo fez-se luz". Newton é considerado pelo Professor Dr. Cleverson um gigante, sendo que Einstein é "um anão em seu ombro". A Revolução industrial teria acontecido graças a Newton. Para o professor, tudo bem, existem os outros filósofos, mas Newton criava tudo do zero, sistemas inteiros sozinho.
       De tudo que ouvi, pude perceber a fala de um mestre na arte de prender a atenção. O professor, mesmo certas vezes repetindo assuntos trabalhados em sala, é muito original, recolocando os temas e propondo soluções. Trata-se certamente de um orador único, que vale a pena ser conhecido por qualquer aluno de filosofia e áreas afins.

Veja as fotos do dia no Blog do centro acadêmico de Filosofia da PUCPR em: http://cafavpucpr.blogspot.com/2011/05/fotos-palestra-do-1-dia-da-semana.html

Fonte: CAFAV - PUCPR



As palestras da semana acadêmica continuam. Aproveitem:
Hoje
19 às 22h (NOITE)
Atividades culturais
Palestra - Jean Jacques Rouseeau
Prof. Dr. Ericson Falabreti
LOCAL: CCIS AUDITÓRIO IR. ALBANO

DIA 25 (MANHÃ)
Apresentação da peça Pesadelos Mitológicos Atores: Sawamu Ka Ueda e Sid.
Palestra - David Hume
Profª. Drª. Maria Isabel Limongi
LOCAL: CTCH AUDITÓRIO TRISTÃO DE ATAIDE


18 de maio de 2011

R$ 10,2 mi são devolvidos da Assembleia Legislativa para a saúde no Paraná

Por: Jonas J. Berra

          Em meio a tanta maldade no mundo, alguma notícia boa precisa ser divulgada. Dentre elas, nessa postagem, dou particular atenção à economia feita durante 3 meses pela Assembleia Legislativa do Paraná, que repassou R$ 10,2 milhões ao Governo do Estado a fim de serem investidos em reformas de hospitais públicos. Isso mesmo, não é R$ 10 mil, mas R$ 10,2 milhões que voltam para o povo em benefícios.

"O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Valdir Rossoni, acompanhado de deputados estaduais do Paraná, formalizou nesta terça-feira (17) a entrega ao governador Beto Richa de um cheque no valor de R$ 10 milhões, resultado da economia feita pela Assembleia após a reorganização administrativa promovida pela nova Mesa Executiva no primeiro trimestre de 2011. O dinheiro será integralmente investido pela Secretaria da Saúde em equipamentos e obras para a rede de hospitais próprios, que atendem várias regiões do Estado (...) A economia média mensal foi de R$ 3 milhões neste início de ano e a previsão é que chegue a R$ 40 milhões em um ano. Todos os recursos serão devolvidos ao Estado. "
(Fonte: Governo do Paraná - em: http://www.cidadao.pr.gov.br/mancheteunica.php?storyid=63737).

           Como a reportagem indica, trata-se de um ato simbólico praticado pela nova admnistração da Alep. Além dessa iniciativa podemos destacar a apontada pelo deputado Valdir Rossoni de mudar a rede televisiva, TV Sinal, que transmite a programação da Assembleia Legislativa, para a E-Paraná. Tal medida tambem reduzirá imensamente os gastos públicos.

Curiosidade:
Dentre as medidas para o corte de gastos estão:
1. Fim dos supersalários dos servidores;
2. Redução no número de cargos comissionados, que são aqueles nomeados pelos deputados (de 360 para 99);

16 de maio de 2011

Padre Curandeiro – Diante da possibilidade de cura, pessoas procuram a solução da Bio Saúde

Por: Everton Marcos Grison


        Reconhecemos que o programa televisivo Fantástico não é uma boa fonte de informações. Mas ontem mostraram uma reportagem que, no mínimo, causou-nos espanto e fez surgirem muitos questionamentos. Um sacerdote jesuíta chamado Renato Barth ministra, a mais de 10 anos, tratamentos baseados em aplicação de argila e folhas de diversas plantas sobre a pele e também receita que seus pacientes tomem sua própria urina, como método eficaz de tratamento de doenças graves como: câncer, HIV, dores, doenças em geral. 
   
     Este padre é membro coordenador nacional do grupo Bio Saúde, que ministra tratamentos em várias localidades do território nacional, baseando-se em métodos como: urinoterapia, alimentação, exames (utilizando métodos que são desprovidos de confiabilidade), exercícios. Na página principal do site do grupo (http://www.biosaudebrasil.org/v1/index.php) encontramos a frase que norteia a “filosofia" de trabalho deles: "Libertemos o corpo das suas toxinas e alimentemo-lo corretamente e estará feito o milagre da Saúde" (ênfase minha). Essa atitude de boa alimentação é sem dúvidas, uma ótima tomada de posição, pois alimentando o corpo de maneira saudável, teremos uma vida mais prospera. Implica ser problemática a atitude deste padre quando ele impõem a desistência do tratamento convencional (com medicamentos, exames e métodos testados em muitos casos) de seus pacientes, para ter “EFICÁCIA” o seu tratamento através de técnicas instigantes.
              Acreditamos que ocorre uma confusão de papéis, pois até onde nos consta, o padre deveria estar preocupado em conduzir suas ovelhas para a salvação, pregando-lhes a palavra de Deus e não ministrando tratamentos alternativos e perigosos. Sua atitude deve ser investigada, pois são muitos os casos de mortes, de famílias que ao estarem diante do desespero de não terem mais tantas alternativas para salvar seus entes da morte, recorrem a estas possibilidades totalmente desprovidas de critérios medicinais. 
            Ele precisa ser enquadrado na lei, pois é muito complexa sua atitude, reconhecida em depoimentos como: “famílias de doentes se dizendo iludidas, enganadas por uma falsa promessa de cura. “Ele falou assim: ‘Ou você para ou então eu não pego seu filho para curar. Eu garanto que eu curo, mas você tem que parar com a quimioterapia, porque a quimioterapia é que vai matar seu filho’”, diz uma senhora que não quer se identificar. “Minha mãe foi a realidade do bem e a cura que ele fez. Já faz cinco anos que ela faleceu”, conta um homem (C.f.:http://www.pvanews.com.br/index.php?pg=noticia&intNotID=40505 ).
            Como ele reage ao fato da promessa; “ Eu garanto que eu curo, mas você tem que parar com a quimioterapia”, e ai a criança morre por falta de tratamento adequado? Devemos ser críticos, pois ele PODE ter responsabilidade sobre essas mortes. Como curar um câncer, uma doença que aumenta rapidamente, aplicando “barro” sobre a pele? Convenhamos, isto é inaceitável e demonstra que diante da possibilidade do fim, o humano fica perdido e recorre a Deus e ao diabo para evitar a morte, e as vezes cometem o terrível erro de dar ouvidos a um “charlatão” como este.

Feiticeiros, burlões e mistificadores: criminalidade e mudança das práticas ...



Em: http://books.google.com.br/books?id=nNnWfD07LewC&lpg=PA121&dq=curandeirismo&pg=PP1#v=onepage&q&f=false

6 de maio de 2011

Terror



Obra encontrada em: http://books.google.com.br/books?id=QMhUR07mSkUC&lpg=PP1&dq=terror&pg=PP1#v=onepage&q&f=false
Diretos autorais de Editora Zahar.

4 de maio de 2011

Bin Laden Cadê Você?

Por: Jonas J. Berra
Esta está dificil de engolir. Vamos levantar algumas dúvidas e hipóteses. - Como é possível que tenham encontrado o sujeito numa mansão se o Sadan foi encontrado num buraco? - Por que trataram Sadan daquele jeito, o julgando e condenando, sem matá-lo de imediato? - Será que matar Bin Laden logo, sem julgamente não é uma forma de evitar os defensores dos direitos humanos e as opniões contrárias à pena de morte? - Que objetivo teria os EUA mudando de atitude em relação a mais um terrorrista? - Quando mataram Che Guevara tiraram fotos. - Quando invadiram o Vietnã acompanham as operações via rádio. - O que diferenciaria Bin Laden dos outros? Ou ele sabia muito. Ou ele trabalhava para os EUA. Ou ele era financiado pelos EUA. Ou os EUA estão divididos, tendo opniões divergentes entre os dirigentes do governo, o que mostra a falta de organização deles.